CUIABÁ

TURISMO

Turismo cultural perto de SP: Itu recebe 1ª Feira Literária e Cultural

Publicado em

TURISMO

source
Praça da Independência, em Itu, interior de SP, é um dos palcos da 1ª Feira Literária e Cultural de Itu
Prefeitura de Itu

Praça da Independência, em Itu, interior de SP, é um dos palcos da 1ª Feira Literária e Cultural de Itu

A cidade de Itu, interior de São Paulo, recebe a primeira edição da Feira Literária e Cultural de Itu (Flic) entre os dias 19 e 22 de maio. O evento pretende ocupar os principais espaços e pontos turísticos da cidade, como a Praça da Independência, o Museu de Energia e o Colégio Anglo, que vão receber contações de história, shows, oficinas, cinema e bate-papos com escritores contemporâneos.

A festa vai reunir nomes como Eduardo Suplicy, Mel Duarte, Clara Averbuck, Giovana Madalosso e Monique Malcher para as atividades. O festival é idealizado pelo escritor Paulo Stucchi, que se inspirou na Festa Literária Internacional de Paraty (FLIP), no Rio de Janeiro. A intenção é fazer do centro histórico de Itu um palco para abordar a literatura. Com curadoria da escritora e roteirista Ana Squilanti, a programação é inteiramente gratuita, aberta ao público e pode ser consultada no site vempraflic.com.br .

“Nossa proposta no debate sobre os territórios, sobre os corpos, sobre as vozes e o que está sendo dito no nosso 2022. É importante que olhemos para o passado para conseguir enxergar nosso presente e futuro e foi esse exercício que tentei aplicar à curadoria do festival. Estou satisfeita com o resultado, porque consegui mesclar autores bem diferenciados numa mesma mesa, em um exercício de ineditismo, inclusive. Misturando nomes contemporâneos nacionais com outros de influência local em Itu”, afirma a curadora.

A ideia de realizar a Flic em Itu veio após o organizador, o escritor Paulo Stucchi conhecer a Flip, em Paraty. Aproveitando o potencial do centro histórico da centenária Itu, ele quer transformar o ambiente num festival do interior.

A primeira edição vai homenagear a Semana de Arte Moderna de 1922, que completou seu primeiro centenário esse ano e refletir sobre o diálogo que artistas modernistas moveram naquela época; e de que forma podem se encaixar nos dias atuais. A grande homenageada será Patrícia Rehder Galvão, conhecida como Pagu, escritora, poetisa e ilustradora que tem importância equivalente a nomes como Oswald de Andrade e Tarsila do Amaral. Pagu foi uma figura relevante para o movimento antropofágico anos depois da primeira semana de arte moderna.

Leia Também:  STF recebe relatório com mensagens de senador pedindo dinheiro

A cidade também deve receber exposições, contação de história, feira de livro e exposição fotográfica. As oficinas terão como foco os costumes mexicanos e criação de PET poemas. Entre as demais atividades estão bate-papo com um sobrevivente do Holocasuto, contato com o hip-hop, show da slammer Mel Duarte (que apresenta seu CD de spoken word “Mormaço – entre outras formas de calor”) e lançamento da biografia da jornalista e ativista pela educação Maria ngela Mangeon.

Fonte: IG Turismo

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

TURISMO

SP: Parque Alto da Boa Vista ganhará mirante, trilha e ‘cachorródromo’

Publicados

em

 Parque Alto da Boa Vista está inserido no distrito de Santo Amaro na capital paulista
Reprodução/Prefeitura da Cidade de São Paulo

Parque Alto da Boa Vista está inserido no distrito de Santo Amaro na capital paulista

O Parque Alto da Boa Vista, que completou um ano de inauguração parcial em maio, na zona sul da cidade de São Paulo, ganhará um nova fase de implantação que entregará ao espaço um mirante com vista para árvores nativas, trilha sensorial para crianças e um “cachorródromo”.

Entretanto, a segunda fase está em licitação, com resultado a ser divulgado em 23 de agosto. A previsão é de um ano de obra, com a entrega para o fim de 2023 ou o início do ano seguinte. O valor estimado é de R$ 4,59 milhões, porém a menor oferta será a selecionada. A primeira etapa custou R$ 825,7 mil, mais da metade de um termo de compromisso ambiental e o restante de doações.

Leia Também:  Sine de Cuiabá disponibiliza 484 vagas de emprego nesta segunda-feira; confira

A abertura do parque permitiu um contato inicial com o espaço após cerca de duas décadas de mobilização popular e disputas na Justiça, mas ainda abrange uma pequena parte da área total, isolada por uma enorme quantidade de cerca de bambu.

Com a nova fase, a ideia é que o parque mantenha uma vocação mais contemplativa, mas que sejam introduzidas opções de lazer, a fim de mantê-lo ativo.

Desse modo, para as crianças, serão feitas intervenções lúdicas em vez da instalação de um parquinho tradicional. Entre elas, estão um piso ondulado e emborrachado para brincadeiras e deitar, marcações de pegadas de animais no chão e um caminho sensorial. As mudanças também envolvem a instalação de um mirante de 65 metros quadrados, com vista para as árvores.

As áreas de vegetação mais densa serão mantidas, com a troca progressiva das espécies invasoras por árvores nativas da Mata Atlântica, enquanto as mais abertas receberão alguns dos novos equipamentos. Hoje, a fauna nativa inclui espécies como a aroeira-mansa, o jaborandi e a embaúba-branca. Há também árvores frutíferas, como bananeira, abacateiro e goiabeira.

Leia Também:  Taste Atlas: Pavê está entre as 50 melhores sobremesas do mundo

Atualmente, o parque é apenas uma mancha verde no distrito de Santo Amaro, com um caminho demarcado por bambus e com placas informativas de algumas das 61 aves identificadas no local, como a coruja-orelhuda e o tucano-de-bico-verde, banheiros e bancos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Acompanhe o iG Turismo também pelo Instagram e receba dicas de roteiros e curiosidades sobre destinos nacionais e internacionais. Siga também o  perfil geral do Portal iG no Telegram.

Fonte: IG Turismo

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA