CUIABÁ

'DIAS DIFÍCEIS'

Mauro Mendes se emociona e assume que primeira-dama vive momento de saúde delicado

Virginia Mendes recebeu um rim do esposo em 2014 e desde o transplante passa por fases delicadas

Publicado em

POLÍTICA

Foto: Reprodução / Redes sociais

Durante agenda na cidade de Pontes e Lacerda, o governador Mauro Mendes (União Brasil) admitiu que a primeira-dama Virginia Mendes está mais afastada dos holofotes em virtude de problemas de saúde. Mendes disse que a esposa passa por um tratamento e que terá “dias difíceis” nas próximas semanas.

– NOTÍCIAS EM TEMPO REAL: participe do grupo do MT Notícias no WhatsApp e acompanhe tudo em primeira mão. Inscreva-se aqui no Grupo 1 e no Grupo 2! Participe também do Grupo de Discussão

“Esse ano, infelizmente, por problemas de saúde que ela tem tido nos últimos meses, ela tem ficado um pouco afastada, mas Deus sempre tem olhado por ela. Ela vai ter aí ainda algumas semanas difíceis”

Buscando ser positivo, o chefe do Paiaguás demonstrou ter esperança na recuperação da companheira e de que em breve retome os trabalhos. “Vamos superar, tenho fé em Deus. Ela vai estar sempre do meu lado, no meu coração, cumprindo o papel de primeira-dama, ajudando na área social e cuidando de pessoas”, declarou Mendes na última sexta (27.05).

Leia Também:  Júlio Campos cita guerra de generais e diz que partido só faz 3 cadeiras na AL

O governador voltou antes do planejado durante a visita a região oeste após Virginia passar mal. A primeira-dama segue um acompanhamento médico rigoroso desde que recebeu um rim do esposo, em março de 2014.

A Secretaria de Estado de Comunicação afirmou que Virginia Mendes está de repouso na casa da família em Cuiabá. A esposa do líder do Executivo estadual deve retomar parte ds compromissos na próxima semana, caso sua saúde se estabilize.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍTICA

Ex-secretário Gonçalo de Barros é inocentado pelo Tribunal de Contas de Mato Grosso

Publicados

em

Gonçalo Aparecido de Barros, ex-secretário de Serviços Urbanos de Várzea Grande,  foi inocentado pelo Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso (TCE/MT), da acusação de irregularidades em contratos firmados entre a Prefeitura daquele município e a Selprom Tecnologia, no ano de 2013. Com a decisão ele não  precisará devolver  R$ 433 mil ao erário, como havia sido sentenciado em 2021.

– NOTÍCIAS EM TEMPO REAL: participe do grupo do MT Notícias no WhatsApp e acompanhe tudo em primeira mão. Inscreva-se aqui no Grupo 1 e no Grupo 2! Participe também do Grupo de Discussão.

O julgamento de Gonçalo ocorreu no último dia 02 de agosto e contou com parecer favorável do relator do recurso, o conselheiro Valter Albano. Os membros da Corte de Contas Estadual seguiram por unanimidade seu posicionamento favorável à  isenção de culpabilidade do ex-secretário.

Conforme o processo, Gonçalo Aparecido de Barros foi condenado à devolução dos recursos em razão da falta de comprovantes do pagamento de dois contratos com a Selprom Tecnologia, que previa a “prestação de serviços de manutenção por meio do fornecimento de material de gestão e inventário do parque de iluminação pública do referido município”. O valor do contrato, fechado em 2013, era de R$ 3,1 milhões, porém, as notas fiscais do negócio não comprovaram o pagamento de R$ 433,8 mil desse total.

Leia Também:  Ex-secretário Gonçalo de Barros é inocentado pelo Tribunal de Contas de Mato Grosso

No  recurso, o ex-secretário afirma que  a tomada de contas da controladora-geral de Várzea Grande, que apontou a irregularidade, levou em conta apenas as notas fiscais de um dos contratos. “Sustenta, ainda, que a soma dos valores das notas fiscais referentes aos contratos anteriormente mencionados corresponde exatamente à quantia apontada como despesa não comprovada, o que afasta a irregularidade”, diz trecho do recurso.

Em seu voto, o conselheiro Valter Albano concordou com os argumentos, afastando não só a restituição como a aplicação da multa. “Ao examinar os argumentos e os documentos apresentados, constato que assiste razão ao embargante, pois, de fato, as notas fiscais acostadas aos autos evidenciam que o valor total de R$ 3.108.530,43 não corresponde apenas ao Contrato 141/2012, como erroneamente apontado nesse processo, mas também ao contrato 38/2013, à ARP 14/2012”, reconheceu o conselheiro.

Valter Albano ainda determinou o encaminhamento dos autos ao Núcleo de Certificação de Sanções “para que seja realizada a imediata suspensão da execução da multa e restituição de valores a ele destinadas”.

Leia Também:  Ministério Público Eleitoral pede impugnação das candidaturas a deputado de Abilinho e Wellaton

(Com informações do site FOLHAMAX)

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA