CUIABÁ

POLÍCIA

Morte de mulher em Pontes e Lacerda é esclarecida e dois suspeitos são presos por feminicídio

Publicado em

POLÍCIA


Raquel Teixeira/Polícia Civil-MT

A Polícia Civil em Pontes e Lacerda (448 km a oeste) esclareceu um feminicídio ocorrido na semana passada no município e prendeu dois suspeitos pelo crime nesta segunda-feira (18.10).

Os mandados de prisão temporária foram deferidos pela Comarca local, após representação da delegada Bruna Caroline Laet, da Delegacia de Pontes e Lacerda.

Um dos investigados presos, de 34 anos, admitiu participação no crime desferindo os golpes na vítima. O outro negou envolvimento no homicídio e que apenas tentou separar a vítima durante um desentendimento.

Milene Natasha Soares de Freitas, 21 anos, foi morta com golpes de faca na madrugada do dia 14 de outubro. Ela foi encontrada caída em uma rua do bairro Vila Iguaçu, pedido por socorro. Ela apresentava perfurações no pescoço e braço, foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu a caminho do hospital.

Apuração

A partir da investigação instaurada pela Delegacia Municipal, os investigadores coletaram diversas informações que chegaram à dinâmica de como ocorreu o crime e a motivação.

Leia Também:  Com plantio de girassóis, Secretaria Municipal da Mulher faz abertura da campanha "Não se Cale"

Os dois investigados pelo crime moram em um mesmo terreno, em casas distintas, cujos locais eram frequentados por Milene. Ela mantinha um relacionamento com um deles e participava de confraternizações e fazia uso de entorpecentes em companhia de ambos. 

Na noite anterior ao crime, ocorreu um churrasco no quintal onde os suspeitos tinham residência, que se estendeu pela madrugada, para comemorar o aniversário de uma pessoa conhecida. Por volta das 4h30 da manhã Milene foi vista correndo em direção à rua e na sequência, um dos suspeitos, com o rosto ensaguentado, entrou na casa, pegou uma faca e também saiu em direção à via pública. Em seguida, a vítima foi vista já caída na rua.

Indícios

Elementos informativos coletados durante a apuração apontam os dois investigados como as únicas pessoas vistas na cena do crime. Um deles foi visto por testemunhas correndo com uma faca, poucos minutos antes da saída da vítima da casa onde ocorria o churrasco. Já o outro foi visto ao pegar uma faca em sua casa e sair atrás de Milene.

Leia Também:  Operação Black Friday da Polícia Militar é deflagrada para garantir segurança à população

No trajeto entre a casa onde Milene estava até o ponto onde ela caiu foram encontrados vestígios de sangue, assim como também nas duas casas do terreno, apontando que a vítima foi atingida por golpes de faca ainda dentro do imóvel e depois na rua.

Durante oitivas realizadas, a Polícia Civil obteve informações que a vítima mantinha um relacionamento com um dos suspeitos. Contudo, foram apontados indícios de que ela também teve um caso com o outro suspeito, mas não era do conhecimento de pessoas do convívio de ambos.

Os dois responderão por homicídio doloso, com qualificadora em feminicídio.

Fonte: PJC MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍCIA

Ministério Público e Polícia Civil deflagram segunda fase da Operação Renegados

Publicados

em


Assessoria/Polícia Civil-MT

O Ministério Público, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), em investigação conjunta com a Polícia Civil, por intermédio da Corregedoria-Geral da Polícia Civil, deflagraram na tarde desta sexta-feira (26.11) a segunda fase da Operação Renegados, com a finalidade de cumprir um total de 30 mandados judiciais, sendo 14 mandados de prisão preventiva, dois mandados de prisão domiciliar, cinco mandados de busca e apreensão em residências e nove mandados de busca e apreensão em celas do Centro de Custódia da Capital.

A operação se fundamenta em Procedimento de Investigação Criminal (PIC) instaurado no âmbito do Gaeco e em inquérito instaurado pela Corregedoria-Geral da Polícia Civil.

A operação se dá em continuidade às investigações sobre denúncias da prática de inúmeros crimes tais como concussão, tráfico, porte ilegal de armas de fogo, corrupção, roubo qualificado e favorecimento da prostituição ou exploração sexual de adolescentes cometidos por uma organização criminosa composta , dentre outros membros, por policiais civis, militares e informantes.

Leia Também:  Operação Black Friday da Polícia Militar é deflagrada para garantir segurança à população

O Ministério Público e a Polícia Civil comungam esforços para combater os que desonram sua missão institucional e renegam a nobre missão do combate à corrupção e criminalidade . A lei é para todos e com muito mais rigor deve atingir aqueles que abusam da função pública e se utilizam do cargo e do aparato estatal para o cometimento de crimes.

Fonte: PJC MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA