CUIABÁ

OPINIÃO

Energia e o desenvolvimento de Mato Grosso

Publicado em

OPINIÃO

Foto: Arquivo pessoal

Mato Grosso completou 274 anos de fundação em 09 de maio!

– NOTÍCIAS EM TEMPO REAL: participe do grupo do MT Notícias no WhatsApp e acompanhe tudo em primeira mão. Inscreva-se aqui no Grupo 1 e no Grupo 2! Participe também do Grupo de Discussão

Tenho orgulho de morar aqui, e estar à frente do Sindicato da Construção, Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica e Gás no Estado de Mato Grosso (Sindenergia), entidade que atua em prol do progresso deste estado. O avanço da energia está totalmente atrelado ao desenvolvimento de Mato Grosso.

Dá para imaginar que a iluminação pública de Cuiabá já foi feita com lampiões de azeite? E todos os dias dois servidores ficavam responsáveis por acender e apagar as lamparinas!Isso ocorreu por volta de 1874, alguns anos antes da fundação do estado, em 1878.

Muito diferente do que vemos atualmente, no qual ao apertar de um botão, a energia chega a quase todas as regiões e com ela vem o banho quente, o alimento refrigerado, a carga da bateria do celular, além do funcionamento das engrenagens da indústria e do comércio.

Leia Também:  Projeto cria incentivo fiscal para geração de energia elétrica por resíduo sólido

O mundo como vemos hoje não existiria se não fosse a energia elétrica e não será igual nos próximos anos, também devido às mudanças na forma como consumimos energia, e diretamente na economia também.

A energia produzida a partir de energia solar fotovoltaica se tornou mais barata do que a eletricidade de usinas movidas a combustíveis fósseis na maioria das nações. As energias renováveis vão tirar o carvão da rede, levando 80% do crescimento da demanda até 2030.

Mato Grosso está de parabéns, e muito à frente dos demais estados devido aos benefícios concedidos que incentivam o uso de energia renovável, principalmente da energia fotovoltaica.

A partir do ano de 2023, os consumidores com uma média de demanda superior a 500kW conseguirão escolher os fornecedores e a concessionária que irão atender sua demanda por energia.

A principal delas será da fonte solar, e grandes empresas buscam comprar esse tipo de energia tanto por compromissos de redução de emissão de gases quanto por uma exigência da sociedade, o que influencia diretamente na imagem do negócio.

Leia Também:  TCE-MT apresenta em Congresso a aplicação de algoritmos para redução de gastos com energia

Vale lembrar que Cuiabá, em janeiro deste ano, foi a primeira capital brasileira a atingir a marca de 100 MW de potência solar instalada em residências, fachadas e em pequenos e médios terrenos, segundo à ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica).

Parabéns Mato Grosso e sua gente!

* Tiago Vianna é presidente do Sindenergia MT, diretor regional no centro-oeste da Absolar, e diretor na Oeste Solar e Enersim.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

OPINIÃO

A coragem que herdei do meu pai

Publicados

em

Eu não tenho fotografias com o meu pai, mas carrego comigo muitas lembranças do pouco tempo que vivi com ele. Foram apenas 11 anos juntos, mas de muita conexão e cumplicidade. Ele não sabia, mas desde muito pequena, me preparou para a vida sem ele, me estimulando sempre a batalhar pelo que eu queria e me mostrando o quanto eu era capaz. A maior lição que ele deixou pra mim fala sobre “coragem”.

Passei muito tempo ouvindo as pessoas me chamarem de corajosa, mas eu não sabia de onde vinha essa coragem, até que, um dia, em uma meditação, eu consegui me conectar com um dos momentos mais incríveis da minha infância.

Meu pai, em uma roda de amigos, falava com o maior orgulho sobre a minha coragem, a ponto de fazer uma aposta com eles, que, se ele pedisse para eu ir sozinha no escuro até a casa da minha avó, eu iria. Aquela fala dele me marcou tanto, que muitas vezes ele me desafiava a fazer determinadas coisas e eu, mesmo com medo, as realizava.

A forma que ele partiu foi bastante incomum. Ele era caminhoneiro, e no segundo ano em solo mato-grossense, saiu para fazer um frete e nunca mais voltou. Foram muitos sentimentos em pouco tempo, saudade, esperança, revolta, raiva, vergonha, rejeição, tristeza e abandono. Não tive tempo de viver todos esses sentimentos, pois a vida segue para aqueles que ficam e não foi diferente pra mim. Tive que pegar todas as lições que aprendi com ele para enfrentar o que a vida reservava para mim.

Leia Também:  Projeto cria incentivo fiscal para geração de energia elétrica por resíduo sólido

Foi um período difícil, ter que trabalhar como babá em troca de estudo e casa para morar, mas também foi um período de muito aprendizado, que levei pra vida.

Nesse período, os Fake News também existiam, as fofocas eram de que ele havia nos abandonado, que estava com outra família, entre tantas outras. Mas, conforme o tempo foi passando e nada de notícias dele, outras histórias surgiram, a de que ele havia sido assaltado e morto.

O que de fato aconteceu com o meu pai, não sabemos, mas depois de muito tempo, veio a calmaria e a compreensão de que, no pouco tempo que ele esteve presente, me deu o melhor e é isso que importa.

Sofri bastante para ter essa compreensão, por muito tempo busquei um pai nos relacionamentos afetivos e isso acabou me levando para caminhos de dor e sofrimento.

Com o autoconhecimento, veio o despertar de consciência e me fez ver o quanto a figura paterna é importante na vida de qualquer pessoa. Nem sempre temos o super-herói que romantizamos, mas temos o único homem capaz de nos dar a vida, que antes de ser pai, também foi filho, também desenvolveu traumas e muitas vezes não conseguiu quebrar certos padrões familiares, mas, com essa nova consciência, eu posso quebrar esses padrões.

Leia Também:  Senado aprova marco regulatório para exploração de energia em alto mar

Nunca soube o que de fato aconteceu com o meu pai, mas hoje, isso não importa mais pra mim, porque escolhi me apegar ao principal, a vida que ele me deu e as lições que tive com ele, principalmente a coragem, que tem me permitido superar o medo.

Pra você, pai, quero te dar um conselho: deixe uma marca positiva na vida do seu filho, não deixe para amanhã, a conversa que você pode ter hoje!

Se você até agora não soube lidar com sua paternidade, está na hora de aprender, cumpra com o seu papel naquilo que te compete, e assim teremos filhos melhores e uma sociedade mais coerente.

E você, filho, valorize seus pais. Entenda que eles te deram o melhor que poderiam te dar.

E se seu pai, de alguma forma, falhou contigo, ou não foi o pai que você esperava, ressignifique a sua dor, o seu vazio e lance fora essa mágoa, olhe para o lado positivo de tudo para que assim, você possa ter um futuro melhor.
Somos capazes de mudar a nossa história.

Sirlei Theis é advogada, gestora pública, treinadora comportamental, consteladora familiar e candidata a deputada federal.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA