CUIABÁ

AGRONEGÓCIO

Exportações de carne de frango crescem 6% nos sete primeiros meses de 2022

Publicado em

AGRONEGÓCIO

Conforme informado pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), as exportações de carne de frango, tanto in natura quanto processadas, totalizaram 2,825 milhões de toneladas nos sete primeiros meses de 2022. O número supera em 6% as 2,668 toneladas embarcadas pelo país no mesmo período do ano passado. 

No mês de julho, as exportações de carne de frango apresentaram um volume de 4,5% menor que o total comercializado internacionalmente no sétimo mês de 2021, com 405,3 mil toneladas contra 424,4 mil toneladas. Na receita, houve um aumento de 20,7% com US$ 892 milhões frente aos US$ 739,2 milhões em 2021.

Em dólares, esse resultado apresenta um número 33,3% maior do que o registrado no mesmo período do ano passado, com US$ 5,620 bilhões  frente a US$ 4,216 bilhões.

Entre os destinos da carne de frango do Brasil, os Emirados Árabes Unidos assumiram, novamente, a liderança, com 37,8 mil toneladas exportadas em julho. Em segundo lugar, está a China com 37,5 mil toneladas importadas e em terceiro lugar, a Arábia Saudita que importou 37,2 mil toneladas. Além desses, outros destaques do mês foram Filipinas, com 21,8 mil toneladas, Coreia do Sul, com 18,8 mil toneladas e Singapura, com 15,4 mil toneladas importadas.

Leia Também:  Preços dos ovos registram alta na primeira semana de agosto

Fonte: AgroPlus

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

AGRONEGÓCIO

Inicia neste mês em São Paulo primeira colheita de abóbora cabotiá sob nova regra de exportação para Argentina

Publicados

em

Começa neste mês, na região de Presidente Prudente, em São Paulo, a colheita da abóbora cabotiá que será exportada para a Argentina, pela nova regra firmada entre o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e o país vizinho. 

A nova medida implica na alteração do processo de certificação dos produtos que agora passa a ser executado nas áreas de fronteira, onde atua a Vigilância Agropecuária Internacional (Vigiagro). Anteriormente, essas abóboras e outras cucurbitáceas (melão, pepino, melancia e etc) eram certificadas na propriedade rural durante a colheita. 

A alteração da regra está no plano de trabalho para exportação para a Argentina de cucurbitáceas produzidas no Brasil sob o Sistema de Mitigação de Risco (SMR) da mosca-sul-americana-das-cucurbitáceas, visto que no país vizinho essa mosca tem um status de importância quarentenária (praga, sem controle, que pode causar impactos econômicos significativos na produção). Com a medida, levantamentos fitossanitários devem ser feitos com uso de armadilhas que atraem os insetos.

Para que esses produtos possam entrar na Argentina, os serviços de defesa agropecuária responsáveis por alguns municípios de São Paulo, da Bahia, de Goiás, Minas Gerais, do Paraná e do Rio Grande do Sul devem alterar seus procedimentos operacionais e as medidas fitossanitárias com base no plano de trabalho. 

Leia Também:  Portugal recebe 300 mil brasileiros em dois meses

Fonte: AgroPlus

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA